A barriga desta mulher começou a crescer após o nascimento da filha. Quando abriram o seu útero, os médicos ficaram espantados!

A russa Yulia Selina, de 34 anos, era uma jovem mãe que aguardava impacientemente o nascimento do seu segundo filho. Precisamente aos nove meses, a menina Dima nasceu, deixando os seus pais radiantes.

Yulia queria um parto normal e, no início, parecia que tudo estava a correr bem.

Mas, depois de perceber que a bebé estava numa posição complicada no útero, os médicos decidiram fazer uma cesariana. Para proteger a sua filha, a jovem concordou – ela ainda não sabia, mas esta decisão ia acabar por lhe custar a própria vida.Dima nasceu forte e saudável, mas logo após o nascimento, Yulia começou a sentir-se mal. “A minha barriga começou a inchar, até que se tornou ainda maior do que era quando estava grávida de 9 meses. Cada movimento causava-me uma dor horrível. No início, pensei que era apenas uma reação natural à operação”, diz Yulia. “Mas depois, eu já nem me conseguia sentar, as dores faziam-me gritar!”. A situação tornou-se crítica, mas os médicos continuaram a insistir que seria uma reação normal à cesariana e rejeitaram as suas queixas.Além das terríveis dores, Yulia começou também a ter febre. “Eu entendi que se esperasse mais pela ajuda dos médicos, os meus filhos ficariam sem mãe”, lembra. Após 24 dias de agonia e de muita insistência por parte dela, Yulia foi finalmente internada num hospital diferente. O primeiro ultrassom revelou uma enorme quantidade de líquido na sua barriga e … um objeto estranho!Yulia foi levada à pressa para a sala de cirurgia e, cinco horas depois, os cirurgiões removeram mais de 2,5 litros de pus no seu abdómen e … um avental cirúrgico.

Ele tinha sido deixado dentro do seu corpo após o nascimento de Dima. As enfermeiras ficaram tão chocadas que registaram o momento com a câmara de um telemóvel.Depois que ter acordado da cirurgia e ter visto as imagens, Yulia ficou em estado de choque. A jovem esposa e mãe de dois filhos percebeu que tinha sobrevivido por um milagre. Ela ficou estarrecida com a irresponsabilidade demonstrada pelos médicos a quem tinha confiado a sua própria vida e a da sua bebé.Porém, apesar da situação absurda, Yulia ainda quer tentar perdoar os profissionais que fizeram isso com ela: “Eu estou a tentar, eu quero perdoar e desculpar todos os responsáveis, mas depois penso que a minha família podia também me ter perdido para sempre. Eu gostava de resolver isso de uma forma civilizada”, disse. Advogados experientes estão a ajudar Yulia e a sua família a dar entrada de um processo judicial contra o hospital, e evitar que isto aconteça com outras pessoas. A jovem mãe acredita que agora tudo vai ficar bem, porque o principal é que ela e os filhos estão vivos e saudáveis.A história de Yulia é assustadora e revoltante. Por sorte terminou tudo bem, mas o desfecho podia ter sido muito pior … infelizmente, o seu caso não é o único.

Se também ficou chocado com este caso de irresponsabilidade médica, partilhe esta história com o mundo. Uma ocasião tão alegre como o nascimento de um bebé, nunca se deveria transformar num pesadelo.