7 Malefícios causados pelas lâmpadas LED que os fabricantes não te contaram!

A luz LED é muito eficaz, pelo que pode reduzir o consumo até 95% em comparação com lâmpadas incandescentes que liberam calor. Porém, há algo que os fabricantes se esqueceram de contar: é extremamente prejudicial à saúde.

Apesar de ser muito recomendada por ser ecologicamente correta, os seus malefícios à saúde são inúmeros. De acordo com o Dr. Alexander Wunsch, um especialista a nível internacional em fotobiologia, se o consumidor pudesse escolher, valia muito mais a pena pagar uma conta de energia cara ao usar uma lâmpada incandescente, do que economizar ao usar a luz LED e sofrer alguns danos.

Entre estes problemas estão:

– Degeneração macularUma das consequências do uso da lâmpada LED é, segundo o Dr. Alexander Wunsch, o aumento dos casos degeneração macular relacionada com a idade (DMRI), que é a principal causa de cegueira nos Estados Unidos e em muitos outros países.

– Desordem metabólicaOutros problemas de saúde enraizados na disfunção mitocondrial também podem ser exacerbados, e estes vão desde a desordem metabólica ao cancro.

– CancroDe acordo com investigadores da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, as lâmpadas LED (Light Emitting Diode), famosas por serem consideradas fontes de luz ecologicamente corretas, podem causar cancro. Isto porque, estes itens contêm chumbo, arsénio e outras substâncias potencialmente perigosas à saúde.

– Lesões neurológicasAlém do cancro, substâncias encontradas nas LEDs podem causar outras doenças, como lesões neurológicas.

– Doenças renaisAlém do cancro, substâncias encontradas nas LEDs podem influenciar no aparecimento de outras doenças, como as renais.

– Problemas de peleFicar exposta à luz artificial por 8 horas equivale a cerca de um minuto e 20 segundos de exposição solar num dia de verão. Por isso, os efeitos não são tão desesperantes quanto os causados pelos raios solares.

– HipertensãoAlém do cancro, substâncias encontradas nas LEDs podem influenciar o aparecimento de outras doenças, como a hipertensão. Isto acontece porque a exposição a este tipo de luz interfere na pressão arterial.

Infelizmente, o uso da lâmpada LED passou a ser prioridade em locais desenvolvidos ou em desenvolvimento como EUA, Brasil e Europa, na tentativa de economizarem energia. Porém, o impacto biológico dessa lâmpada foi completamente ignorado, e houve muito pressa e nenhum aprofundamento em relação aos riscos na hora de implantá-los.

Por isto, é preciso ficar atento às lâmpadas da sua casa e refletir se esse é realmente um risco que quer correr.